sábado, 23 de janeiro de 2016

Obrigada por sua visita! Seu comentário é muito importante para mim.

Brasil
FIM DE LINHA!!

Tantas tragédias, tantos crimes, 

Tanta incompreensão. 

Tanta desonestidade, tanta desverdade,

Quanta comoção!

Eu já nem sei se esses fatos denotam o início

ou o fim da linha que separa o bem do mal.

Quanto desacato! 

Seria a culpa, minha?

Um corpo caído no chão.

 Um morto no frio. Uma criança assustada...

O vazio! Roubo ao banco...

De súbito a morte!

 O poder no tranco A lei do mais forte...

Governo desacreditado Sem comando, abalado!

Na lixeira imunda Um bebê que chora.

Maternidade infecunda .

Um rostinho que implora.

Segredos, mistérios...

O caos se avizinha.

Na boca, vitupérios, Será o fim da linha?

SALVE-SE QUEM PUDER!

(Milla Pereira)
 
Tudo um dia passa .
A dor passa
A vida passa 
..

16 comentários :

Maria Rodrigues disse...

Duras realidades, um poema intenso e de grande sensibilidade.
Beijinhos
Maria

Maria Teresa Valente disse...

Estamos sem norte, Evanir!
Feliz e abençoada semana,
abraços carinhosos
Maria Teresa

Cidália Ferreira disse...

Gostei muito!

Beijo e um dia feliz.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

CHARO disse...

El mundo cada vez está más loco y mientras no cambie seguirán los crímenes y la mala convivencia entre sus gentes. Se necesita un cambio urgente del odio por el AMOR, seguro que entonces este mundo sería un paraíso.Besicos

maria francisca belmonte mondejar disse...

Que palabras tan desgarradoras, amiga!!!, me han puesto un poco triste y me hacen reflexionar, con lo fácil que sería hacernos la vida sencilla
Un beso guapa.

Ritinha disse...

Puxa!
Que saudade que eu estava deste seu cantinho!
Depois de tanto tempo, volto e tenho aquela sensação boa de palavras bem colocadas, descritas pelo sentimento, expressão de expor desejos e idéias.
Bom demais!
bjs
Ritinha

Denise disse...

love and prayers my friend.

Arione Torres disse...

Oi querida amiga Evanir,
Uma amizade não se faz pelo tempo em que ela existe e sim pela sinceridade do sentimento que há nela.
Vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

emanuel moura disse...

Maravilhosa postagem querida afilhada ,um mundo inconstante ,o ser humano sem norte assim se caminha neste viver onde o abastado vive e pobre vai sobrevivendo ,que o amor renasça em todos os corações do ser humano para que possamos viver em paz e harmonia ,muitos beijinhos no coração.

Enrico zio disse...

Purtroppo tragedie di questo tipo si ripetono uguali in tutti il mondo.
Buona giornata, un abbraccio
enrico

Nina Filipe disse...

Olá amiga Evanir, é sempre um prazer passar por aqui, pena é que o tempo a cada dia corre mais veloz, e a montanha vai sumindo mais depressa para que vislumbre do lado de lá seja mais nítido.
O tempo, esse mestre de tudo que nos acompanha desde o nascer nos empurra, a gente tem um intervalo em que não damos conta, e, por vezes queremos que corra mais depressa.
Depois, há! ...Depois já não dá para o acompanhar.... e assim nós vamos ficando pelo caminho enquanto ele vai sempre ficando para acompanhar os que ficam.
Tenha um lindo dia com beijinhos de luz e paz.

CRISTINA disse...

Una poesía muy desgarradora, hay veces que la actitud del ser humana deja mucho que desear, en cuanto a valores humanos, sobre todo en estos tiempos.
Un cariñoso abrazo.

Vieira Calado disse...

Boa noite, caríssima!
Tenho andado para passar por aqui, mas o tempo tem escasseado.
Espero e desejo que esteja mesmo muito bem!
Quanto ao que escreve sobre o Brasil... bom... poderia eu escrever sobre Portugal.
Que sina a nossa!
E já nem é por nós, mas sim para os que vão nascendo e cujo futuro é muito incerto.
A mim, o que me vale é a música.
Agora mesmo comecei a ouvir a nona sinfonia de Beethoven.
Vai ser um regalo de quase uma hora, sem pensar nos banksters que governam este mundo...
Beijinhos (muitos!)

Crocheteando...momentos! disse...

Um belo poema...bj

Fê blue bird disse...

Minha querida amiga.
Infelizmente o mal está a propagar-se por todo o mundo.
A poesia bem alerta, mas o nosso coração sangra com tanta maldade.

Desejo-lhe o melhor amiga Evanir.
Um beijinho e bom fim de semana
~Fê

Ana Freire disse...

Tudo passa... a vida passa...
E por vontade política... tantos problemas se mantêm... e como a Fê, muito bem diz... têm tendência a propagar-se por este mundo fora... infelizmente... alguns deles, também ocorrendo aqui deste lado... à devida escala...
Um poema muito pertinente, abordando tão dura realidade!
Como sempre, uma partilha extraordinária, por aqui, Evanir... para nos fazer reflectir...
Beijinhos!
Ana

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios