domingo, 4 de fevereiro de 2018

SAUDADE

De vez em quando eu penso em ti
então minha voz se cala
meu corpo estremece
e meu coração bate desesperadamente...
uma lágrima se atira a esmo no espaço
e meus olhos se perdem no infinito.

De vez em quando eu te sinto
acariciando o meu rosto
balançando a cabeça, teus cabelos roçando o vento
tua voz acariciando meu ser
de vez em quando eu te encontro
perdida em meus passos
indomável diante dos meus braços
distante do meu sentimento.

De vez em quando eu penso em ti
como uma andorinha que se foi
como um raio que se apagou 
ou uma luz que se perdeu no mar
de vez em quando eu te pressinto
tão perto e tão longe
tão perto que nem posso te alcançar
tão longe que não consigo te esquecer.

De vez em quando eu choro
e não consigo conter minha dor
por não poder te ter
por não poder te amar
por não suportar a força que tem
o rastro de uma felicidade
de vez em quando eu te tenho junto a mim,
pois és no meu amargor
a chama de uma saudade

Fernando Barbosa Filho.

Saudade não se justifica
Saudade é aquela palavra
dita na hora certa.
Quando o amor se vai sem data
prevista para  voltar...
Saudade no peito .
Saudade de quem foi
jurando voltar um Dia.
 Faz muito tempo
Agora acredito .
Morreu a saudade que trazia 
no meu cansado coração.
Os anos e foram e você 
nunca mais voltou.
A saudade é ingrata mesmo,
que o coração explode no peito.
Seu amor jamais voltara.
Eva..
Força, fé, saúde, coragem e Deus. Obrigada pela sua gentil visita e comentário.
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios