sexta-feira, 19 de agosto de 2016


 A Grandeza do silêncio

O silêncio é doçura:
Quando não respondes às ofensas,
Quando não reclamas os teus direitos,
Quando deixas à Deus a defesa da tua honra.

O silêncio é misericórdia:
Quando te calas diante das faltas de teus irmãos,
Quando perdoas sem remoer o passado,
Quando não condenas, mas intercedes em segredo.

O silêncio é paciência:
Quando sofres sem te lamentares,
Quando não procuras consolação junto aos homens,
Quando não intervéns, esperando que a semente germine lentamente.

O silêncio é humildade:
Quando te apagas para deixar aparecer teu irmão,
Quando, na discrição, revelas dons de Deus,
Quando suportas que tuas ações sejam mal interpretadas,
Quando deixas os outros a glória da obra inacabada.

O silêncio é fé:
Quando te apagas, sabendo que é Ele quem age...
Quando renuncias às vozes do mundo para permanecer na Sua 
presença...
Quando te basta que só Ele te compreenda...

(ATD)
Agradeço o carinho da sua visita
Quando você passa sinto seu perfume no ar.
A melhor essência  é da verdadeira Amizade.

6 comentários :

Cidália Ferreira disse...

Lindo demais!

Beijo, bom fim de semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

emanuel moura disse...

Boa noite querida afilhada a beleza do silêncio que tantas vezes necessitamos para que possamos ouvir o nosso verdadeiro eu ,um silêncio tão belo como as palavras que delicadamente
florescem de um coração tão nobre e cheio de amor ,cada momento de silêncio nos convida a reflectirmos e admirarmos por momentos que a vida é muito mais que tudo o que nos rodeia ,sentir no silêncio toda a leveza de uma alma que tanta vezes carece de ser ouvida ,muito obrigado pela linda partilha querida afilhada ,muitos beijinhos no seu lindo coração.

Luísa Fernandes disse...

Minha querida Evanir!! Adorei o poema de hoje.
Mas minhas lágrimas saltaram... tocou-me profundamente.
senti a dor no fundo da alma
como quem entala algo que não acalma
como quem sangra da ferida que doi...
Por quem não reconhece a diferença do bem e do
e do mal, como quem crava espinhos
pelas costa, e não enxerga amizades
Fazendo delas mortas...É muito triste
Querida Evanir... mas é uma verdade que doi.
Beijinho de quem lhe quer bem!!
Luisa fernandes
poemasdaminhalma.blogspot.pt

Vikee disse...

Nice post

Love Vikee
www.slavetofashion9771.blogspot.com

CHARO disse...

Un bonito mensaje en el año de la misericordia.Besicos

Graça Pires disse...

Tão importante saber estar em silêncio...
Boa semana, minha amiga.
Beijos.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios